episode 1

+ the morning after the night before
 
InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
< class="" height="25">
go go go

Image Hosted by ImageShack.us


+ Bem vindo ao Hospital Cirúrgico Seattle Grace, em Seattle, Washington, o mais rígido programa cirúrgico de Harvard.

< class="" height="25">
click click click



[+] cadastro
[+] regras
[+] cannons
[+] grey's anatomy
[+] episódio I

< class="" height="25">
have you ever seen the rain

Image Hosted by ImageShack.us
Tempo fechado e abafado, no entanto, sem chuva. Temperaturas por volta de 13º.

Image Hosted by ImageShack.us
Madrugada {após o episodio freedom !}.

< class="" height="25">
sky

Image Hosted by ImageShack.us
< class="" height="25">
look this

Image Hosted by ImageShack.us

theBestFriends



theBestQuote

theBestCouple


theMostFunny

theBestPost

theMostRomantic

theBestSong


- Snow Patrol Lyrics
< class="" height="25">
a have god time
Image Hosted by ImageShack.us
» Link Us



------------
--Imperius- Supernatural-- -Marauders Era- Mastury- ”Tirando

< class="" height="25">
thanks

Image Hosted by ImageShack.us
+ inspirado em Grey's Anatomy.
+ Skin e estrutura por Raissa Barreto & Saullo Pontes. Com auxilio de Pedro Spadotto.
+ Imagens retiradas da serie e editadas por Raissa Barreto e Saullo Pontes.
+Tramas e biografias por Raíssa Barreto, Saullo Pontes, Paulo Marcel e Lara Silveira.

Bring me to life RPG © 2008


Compartilhe | 
 

 + episódio 1: the morning after the night before

Ir em baixo 
AutorMensagem
Seattle Grace
1 the morning after the day before
avatar

Número de Mensagens : 132
Data de inscrição : 11/08/2008

Ficha do personagem
Idade::

MensagemAssunto: + episódio 1: the morning after the night before   Ter 26 Ago 2008 - 23:07

Episode 1:The Morning After, The Night Before
introdução


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------


7h 27 min

++



Já era noite há algum tempo. Eu sei que era noite, e aliás, o que eu sei, irei contar aqui, pelos detalhes que eu ouvi por ai, de um e de outro. Na verdade eu ouço bastante, de muitas pessoas diferentes, no final da noite eu consigo formar uma história rica, tal como essa que eu vou contar agora.

Foi pro volta das sete e meia, pelo que me disse uma das minhas informantes, dentro do Seattle Grace, Javier e Anne voltavam de uma cirurgia horrível com aquela mulher severa.. Verônica! Dr. Verônica Smith. Sim, estavam cansados, pobre coitados, dois enfermeiros jovens deveriam aproveitar mais a vida. Eles não o faziam, mas Alicia sim.

––– Olha só pra ela, diz “trabalhos orais por uma ventriculoperitoneal..” – Foi o que Anne disse ao ver Alicia passar por eles, como de costume referindo-se aos fartos.. talentos da interna.

––– Eu aceitaria, se pudesse.. – Javier tentava usar do seu bom humor, mesmo quando Anne o saturasse com suas criticas às doutoras do SGH.

Alicia se sentia o máximo quando era lembrada da sua beleza rara. Tanto que as piadinhas e alfinetadas de Anne surtia efeito contrário, alimentava seu ego. Ela chegou a me confessar uma vez, o dr. Peterson, sim, esse mesmo, atendente de ortopedia, havia lhe oferecido uma cirurgia por.. uma noite de companhia agradável. Se me perguntarem, eu nunca te disse isso.



7h 35 min

++



George tava tão feliz, eu me alegro com a felicidade desse menino! Ele pode não ser o príncipe encantado, mas era um bom rapaz. E tinha conseguido refazer seu teste, ele poderia mesmo ser um residente! Um ponto, o que é um ponto? Ele era o cara, o interno do chefe! Ele poderia passar nessa prova.

––– Eu vou passar! Eu, eu - ele falava meio sozinho, meio para Lexie que estava sentada na cama batendo palmas enquanto George andava de um lado pro outro. - Eu vou ser residente, ai meu Deus, eu tenho que estudar.. - constatou por fim.

––– Não seja por isso! Pegue os livros, eu vou buscar o café, nós temos uma longa noite! - Lexie se levantou e saiu rumo a cozinha.

Ele sorriu, daquela forma dele, meio bobo, enquanto buscava os livros e arrumava a mesa.



++


--- Alex.. – disse Izzie interrompendo o beijo e se afastando com calma.

Alex Karev a olhou, aqueles olhos de campeão – lindos por sinal. - brilhavam vermelhos, com tanta coisa que havia acontecido nos últimos dias.. Ah, esse menino sofria tanto. Ele continuava a segurar a mão de Izzie mesmo com ela se levantando. --- Nós não podemos.. Alex.

Karev engoliu a seco mais uma vez e olhou para o vazio secando as lágrimas. Deu um suspiro longo e olhou novamente para a mulher. --- Izzie... Fica comigo essa noite, só essa noite.. - sussurrou ele.

Izzie poderia ter negado, mas Era Alex, Alex Karev que estava ali lhe pedindo pra ficar com ele aquela noite, ela devia isso a ele, e queria isso tanto quanto ele. No entanto, sem dizer nada sentou-se encostando-se na cabaceira da cama e o puxou, encostando a cabeça dele em seu peito. --- Eu.. não vou a lugar nenhum..


+ +




Do outro lado do Seattle Grace, Dean e Steve andavam lado a lado procurando por Adriana, que não atendia os chamados do Pager. Os mocinhos sabiam que ela estava no hospital, mesmo já tendo excedido suas horas de trabalho, pobre Drica, se cobrava demais, mal tinha tempo para viver a vida longe do SGH. Por sorte tinha amigos tão bons quanto aqueles.

––– Drica! Por aquela aura rosa que te rodeia menina, onde você se enfiou. – Steve e sua forma enfática de falar acordaram a pobre menina que dormia sobre um livro. Ai coitadinha.

––– Acorda, o ER vai encher.. Dr. Smith te mata se te pegar dormindo, vamos lá, temos vidas a salvar. – Dean e seu jeitinho de acordar mulheres, será que ninguém tirou o cinto de castidade desse menino não?

––– Só mais cinco minutinhos mamãe. - até que acordou. ––– Ai minha virgem..

A menina mal teve tempo de se levantar e já tinha saído correndo porta a fora, arrumando o jaleco amassado e jogando os livros pra cima.


7h 40 min

++




No estacionamento, no entanto as coisas não iam bem. E algum dia já foram? Por que, que eu me lembre, aquela entrada do E.R nunca foi um agito em si, tirando as sirenes das ambulâncias, não tinha nada de VIBE ali. Sempre chegavam noticias ruins, coisas ruins, e olha que nem sempre elas vem em quatro rodas.

Como naquela noite, que Jason esperava uma ambulancia do lado de fora. Sozinho, pra variar. Ele vivia sendo o primeiro a chegar, isso fazia dele o interno com os melhores casos.

- Esperando a miss sirene? - Perguntou Evan se juntando ao amigo. Mas por sorte, em relações de amor e ódio como aquela lá - eu digo isso por que eu sei o que a Evan é capaz, fiquei sabendo de babados fortíssimos sobre ela que mais tarde eu conto. - Jason era muito pacato, e não costumava replicar as implicâncias dela.

Logo as luzes vermelhas apontaram, e adivinhe? Não era uma, eram quatro! Surpreeeesa! O interno arregalou os olhos, ele esperava somente um carro..

––– Ôow, shit. - falou baixinho. - Evan, bipa a dr.Smith, a coisa vai ficar feia aqui! - apressou-se ele tentando alcançar o bipe por debaixo da proteção.

––– Eu não, bipa você, ela acabou de sair do plantão, quer morrer, morra sozinho.

Jason ignorou-a e olhou o movimento às suas costas enquanto os outros carros chegavam. Steve, Dean e Drica chegaram, por sorte, ajudando-os a descarregar a maca.

––– Dê espaço pra passar! São convulsões! – os olhos curiosos dos internos se arregalaram. ––– Lindsay Mcklein, 16 anos. 72% do corpo queimado! Pressão 40/5o e contorções nos membros inferiores. - berrava Blake descendo com a maca e correndo na direção da entrada do ER. Havia uma menina deitada, praticamente irreconhecível. Dean foi na direção da menina na maca.

––– Nem sonhando Dean. - Alicia apareceu do nada pegando a maca da mão do Dean, aquela lá não perde a oportunidade de uma cirurgia.

––– O que tá acontecendo aqui? - Yang apareceu por trás dos internos. ––– Saiam dá frente, eu não quero nem um pio de interno aqui sem que EU diga que vocês podem falar. - E saiu na direção da maca da menina. Logo em seguida as outras três macas foram chegando. A seu ver, Yang estava no paraíso cirúrgico.

––– Hastin Basu, vinte e sete anos, perfuração torácica, 3% do corpo queimado, membros inferiores esmagados, inconsciente! - o segundo paramédico trazia em uma maca o corpo de um bombeiro praticamente sem vida. Na mesma ambulância que ele, tinha outra maca, com um garoto. ––– Dylan Mcklein, nove anos, traumatismo craniano! Lesões na parte superior dos membros.

Yang corria de uma maca para outra. ––– Você e você, - apontou para Dean e Drica. ––– ficam com a menina queimada, bipem Dr. Sloan! - Corria para o outro lado. ––– Você e você! - apontou para Jason e Evan. ––– ficam com o menino, bipem a Dr. Leigh! - ordenou. ––– Você e você, - apontou para Alicia e Steve. ––– Ficam com o bombeiro, bipem a Dr.Hahn!

--- Ela acabou de sair, vou chamá-la! - disse Alicia correndo na direção oposta, rumo a parte frontal do estacionamento.

As outras duas ambulancias chegaram simultaneamente, Hannah desceu de uma delas com uma maca onde uma mulher berrava histericamente.

––– ELA É AMALDIÇOADA, UM DEMONIO! - berrava a mulher enquanto Hannah tentava dizer o que se passava com ela. ––– AMALDIÇOADA! DEMÔNIO! - berrava insistentemente sem tempo para respirar, enquanto se debatia na maca.

--- Amanda Mcklein, 38 anos! Queimaduras leves pelo corpo e de terceiro grau nos braços. síndrome pós-concussional! -- Hannah tentava fazer sua voz soar mais alta que os gritos da mãe dos dois meninos. ––– O incêndio destuiu a casa deles, a policia acha que foi provocado por um deles..

––– Ross Mcklein, 40 anos! Fratura exposta no braço esquerdo, queimaduras de segundo e terceiro grau nos braços e pernas, está instável. – disse o outro paramédico trazendo outra maca com um homem deitado, acordado mas aparentemente atônito.


+



E o McSteamy? Após ter saído da entrada do Seattle Grace, deixando a quebra-ossos e a cardio-deusa sozinhas, Mark Sloan veio ao bar, ao meu bar, eu vi tudo de perto, não posso negar que fiquei intrigado com que vi, eu nunca, em toda minha vida iria ligar os dois casos, mas pareciam tão.. óbvios? Ele entrou, com aquele corpo musculoso atravessando a porta quase simultâneo ao semblante cansado porém firme da outra doutora.

––– E ai Joe! O de sempre , duplo! - disse ela.
––– Hey Joe! O de sempre, duplo! - disse ele.

Eu os olhei, eles se olharam. E lá estavam, Veronica Smith e Mark Sloan as duas pessoas mais azaradas amorosamente falando. Tive de abafar uma risadinha com a forma que Veronica olhou pra ele, ah eu tive. Como se o Mark tivesse brotado do nada ali do lado dela. E ele, a olhava da mesma forma.

––– Dias ruins? - eu não tive como evitar a pergunta antes de servir os dois e sair dai, pra ficar em um ponto estratégico.

––– Whisky, e você? - perguntou McSteamy com toda graça que um dia cansativo poderia lhe conceder.
––– Suco de laranja. - respondeu ela levantando o copo.
––– Tão iguais e tão diferentes, diria que nascemos um pro outro. - ele brincou com sua infelicidade e desanimo.
––– Com exceção que eu não dormi com metade do hospital, sim. - ela replicou.
––– Eu não dormi com mais da metade do hospital! - treplicou ele sem entender o tom de ironia, pelo que ele se lembrava, não tinha deixado de ligar pra ela no dia seguinte, aliás, não houve noite anterior com ela, aliás de onde veio aquela mulher que ele nunca tinha reparado nela?!
––– Você não dormiu comigo. - Deu uma olhara pra ele enquanto pegava seu casaco sobre o balcão e olhava seu bipe que chamava. Ergueu as sobrancelhas pra ele e o deixou lá sentado, mas antes de sair.. ---- E nem vai. - e piscou pra ele.

Ele levou alguns segundos pra perceber que seu bipe havia chamado também. Jogou uma nota sobre o balcão.

––– Hey! Pera ai! - e saiu junto com Veronica pra atender o chamado do hospital.


+



Enquanto isso, o pobre do psiquiatra que não controla nem sua mente, que dirá a dos outros, Adam se afogava em um copo de vodka, ah, vodka é a solução pra todo o problema do mundo desde a guerra no Iraque - se o Bush bebesse como o Lula, não teríamos tanta guerra - aos problemas de desilusão amorosa.

––– Danm Dam! Veronica não é a ultima mulher do mundo não, sabia? - Sabia mulher, Geena, era a única que ele ouvia. -- Aliás, ela pode não ser, mas você é o perdedor que tá chorando pelos cantos, erga essa bunda dai e venha, vou te dar um motivo pra chorar quando arrasar com você nos dardos!

––– Existem amigos e inimigos. - disse ele finalizando o drinque. - Pra que eu preciso dos dois se eu tenho você, não é mesmo? - brincou levantando-se e seguindo a menina. ––– Prepare-se pra tomar a maior surra da sua vida!

_________________
Seattle Grace




Última edição por Seattle Grace em Qui 4 Set 2008 - 1:56, editado 9 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://greytest.forumeiros.com
Seattle Grace
1 the morning after the day before
avatar

Número de Mensagens : 132
Data de inscrição : 11/08/2008

Ficha do personagem
Idade::

MensagemAssunto: Re: + episódio 1: the morning after the night before   Seg 1 Set 2008 - 23:10


+


Com tanto lugar no mundo, é no refeitório do SGH que o agito acontece. Paquera, rolos e amizade colorida? Você só encontra lá. Eu sei disso por que, ah, eu sei de tudo! Eu convivo com esse pessoal todo tempo, eles entram, me contam sua vida, afogam as mágoas e vão embora pra um novo dia de trabalho. Ah que mais faz isso é a McSleepy, Diana Leigh. Aquela lá anda com os pés for a do chão. No entanto, tal como nos outros dias, naquela noite seu bipe aclamou.

––– Sem traumas cranianos, eu me recuso a sair daqui. Kevin vivia resmungando, nada deixa aquele menino com mais mal humor que fome.

––– Ah, qualé Kev, é hora de morfar! – berrou Diana levantando o bipe como um morfador e saltando da mesa, pra variar, chamando a atenção pra si.




++



Essa eu vou contar, mas eu espero que fique só entre nós ok? Sem fofoquinhas, por ai. Tal como Mark as deixou, lá estavam elas: Callie Torres, a quebra-ossos e Erica Hahn, a cardio-deusa, aos beijos. Eu me pergundo: por que? Erica e Callie são tão diferentes, mas tão diferentes, que chegam a ser perfeitas uma pra outra. Mas por que? Eu não notei o potencial desse casal? Ok, não vou me culpar por isso, se nem mesmo Erica e Callie notaram, por que diabos eu iria notar não? Eu vou narrar como foi, detalhe por detalhe, por que foi MARA!

Callie foi quem deu o primeiro passo. Erica era cheia de si, mas tenho certeza que ela não faria isso arriscando a perder uma amiga como Torres, podia ser ousada em seu trabalho, em sua vida, mas não no amor, pelo que pude ver. Enquanto elas se beijavam, era notável a química ente as duas.. Teria sido um beijo lindo, se não tivessem sido interrompida por ambos os bipes. Acho que foi ai que elas acordaram pro fato de que estavam na entrada do hospital. Eu imagino a falta de tato que a Dr. Hahn tinha, pra ter olhado pra Callie daquela forma. Devia ser o amor, mas elas se olharam por um tempo antes de Hahn decidir pegar o page e ver que estava sendo convocada a uma cirurgia, assim como Callie. A loira deu um suspiro, de quem não queria ter interrompido, mas teria de ir. Sabe o que eu acho? Que Erica deu graças a Deus por ter sido salva pelo page, por que eu acho que ela não ia saber lidar com a situação!

––– Mmmm.. - Suspirou Callie afirmando com a cabeça e então ambas saíram lado a lado em direção ao Hospital novamente.

Como se ver as duas correndo porta a dentro não fosse o suficiente, Alicia acompanhava tudo com seus olhos bem abertos.. Quem diria, procurar uma Cardiologista no estacionamento seria tão rentável...

––– Tsc, tsc, tsc.. Quem diria em doutora Hahn. - comentou com seu cigarro.



++



E como nosso casal vinte estava junto novamente, é claro que vocês imaginam o tipo de cena que se passava naquele trailler. Ora, não era de se estranhar que os dois matavam a saudade da forma mais natural para eles, entrando porta a dentro aos beijos e amassos. Peças de roupas voando a todo canto. Meredith procurava a cama enquanto esbarrava no corredor. –– Derek... Derek..- ela falava ás gargalhadas. ––– Der, eu vou cair.. – e realmente caiu, cama abaixo. Derek se deitou logo em seguida sobre ela, sem dar-lhe espaço. Até que, bem, o inevitável aconteceu. ––– Der, espera, pera! Tem alguma coisa vibrando no seu bolso, eu espero mesmo que seja o bipe! – ambos riram enquanto Derek tentava alcançar o bipe no cós da calça. Apalpou o objeto que chamava e checou, era do hospital. Não pode deter a decepção.


––– Temos que sair daqui? – Perguntou Meredith por hábito, já que sabia que era um bipe do hospital e, como Derek estava de folga, sabia que era urgente.

––– Huhum.. – ele balançou a cabeça positivamente e tornou a beijá-la.

––– Tudo bem, nós continuamos isso mais tarde.. – Meredith deu um sorriso malicioso.

––– Então espera, espera, espera. – disse ele a olhando seminua em sua cama. Ela devolveu o olhar curiosa, como se perguntasse “o que foi?” . ––– Eu quero lembrar bem de como você estava, pra gente não precisar fazer tudo de novo! – brincou ele.

––– Muito engraçado mas... Vamos nos vestir! – Ela se levantou o beijou novamente ––– Não quero ser noticia de hoje.



8h 02 min
+



E quem tem a vida mais complicada que a do meu pobre sobrinho, Dominic? Esse garoto, eu já disse pra parar de andar com esses riquinhos, qualquer hora ele vai sofrer por isso. Vive me contando coisas que aconteceram com eles, tal como naquela noite, quando a loirinha, qual é mesmo o nome dela? A palhacinha que eles chamam de McCharm.. Sim! Nina Willians! Na mesma noite, naquela noite, quando ela bateu na porta da casa dele aos prantos.

––– Dom.. Dom..! - se agarrava a ele. -.. ele não pode fazer isso Dom! Ele não pode fazer isso.
––– Nina, o que houve?
––– Julian terminou comigo!


+++

++



E mais uma vez o cáos estava formado no ER. Enfermeiros corriam de um lado para o outro na medida que os doutores os pediam algo. Yang era a única residente, o restante ainda não havia chegado

––– Alguém bipe o Dr. Shepherd, Dr.Baley e Dr. Torres! – Berrou Yang para o restante aos outros internos que estavam parados esperando ordens. ––– ANDEM!

––– Não precisa infernizar meus internos Dr. Yang, eu mesma faço isso. – disse Dr. Veronica Smith chegando ao mesmo tempo que Dr. Mark Sloan, Dr. Callie Torres. –––Miranda!

––– Veronica! - disse a Dr. Baley aparecendo ao mesmo instante que Dr Hahn. ––– O que se passa aqui?

––– Temos uma paciente com 72% do corpo queimado, Dr. Sloan e dois dos meus internos estão com ele. - disse ela gesticulando enquanto andava. ––– Há uma criança ferida, Dr. Smith e Dr. Leigh estão fazendo uma tomografia, Dr. Shepherd foi bipado dez minutos atrás. – Continuou olhando para Baley, Torres e Hahn. ––– Miranda, há uma mulher histérica logo ali, suspeitas de trauma na parte frontal da cabeça! Se puder me ajudar, precisamos de quantas mãos pudermos ter! – disse enfática. ––– Dr. Hahn e Dr. Torres, vocês podem vir comigo? - Hahn e Torres confirmaram com a cabeça ao mesmo tempo sem olhar uma para a outra.

Veronica abriu uma das cortinas onde se encontrava um dos paciente, o bombeiro, que estava deitado em com uma faca cravada no peito. ––– Esse homem teve uma obstrução coronariana e fraturas múltiplas dos ossos inferiores. Dr. Yang, reserve o OR agora, teremos de fazer um revascularização miocárdica de urgência ou esse homem vai morrer.

E aquele era o inicio de uma longa madrugada..

por Joe.

_________________
Seattle Grace




Última edição por Seattle Grace em Qui 4 Set 2008 - 0:41, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://greytest.forumeiros.com
 
+ episódio 1: the morning after the night before
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Dungeons em Dragons(Caverna do Dragão) Ultimo Episódio
» [EVENTO] MONTE SUA QUEST BASEADA NOS EPISÓDIOS DA SÉRIE POKEMON!
» Big Apple (Nova York by Night) - O Conto da cidade Vampirica .
» New Jersey by Night - Projeto Paradoxo
» New Jersey By Night - Tempos de Loucura

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
episode 1 :: [+] ALL YOU NEED TO KNOW :: [+] guia de episódios-
Ir para: